quando – quarta divagação

Dl 015 - Cópia

por fim, arredei do labirinto toda a esperança e o sangue inundou todo o labirinto, e eu

afoguei-me, gostando na língua o paladar férreo do sangue.

é muito raro, mas na travessia de ontem para hoje, sonhei.

 

ao princípio a esperança tinha muitos anos, a morte seguia

à minha frente; depois os anos foram morrendo, ficaram mais próximos, e a minha sombra alcançou a esperança

os anos mudaram-se em meses, os meses em semanas, e ficaram os dias

 

agora, que os meus anos vingaram do pressuposto de ter morrido,

todo o mundo cabe num dia e já não escrevo no caderno a palavra amanhã, o código

da travessia, para não morrer durante o sono

*

Fotografia: pormenor de página dos diários gráficos.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s