patologia do acaso, diário, 37: Na vereda do fim

2017, Maio, 8. Na vereda do fim. Abri a vereda do fim, mas não haverá uma falha da razão. No outro dia, enquanto esperava, cheguei a cabeça ao vidro e senti o calor do sol; apaziguou-me, pareceu-me um lugar sem sítio bom para ficar, mas a minha decisão é em outro lugar.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s