Eroticon, II: o dia da fertilidade dos frutos da terra

DSC00415 - Cópia

 

em um outro dia, que há um ano foi de hoje o mesmo dia, choveu

e era hoje, o dia da fertilidade dos frutos da Terra, quando as pedras se mudam em pão;

e eu estava certo de ser nosso o pão das espigas do desejo para o comermos;

dos malmequeres da Fortuna para nos coroarmos, nus

frementes de tesão, de selvático ímpeto, atiçados na pele e na dor pela deslocação do ar sob as árvores;

da rama da oliveira, o azeite que é a terna seiva do pavio da candeia,

a luz do que arde nas nossas palavras sequiosas e desentende o fim;

da papoila rubra do sangue que sob a pele se expande e nos embriaga, sentidos e intelecto,

no movimento ancestral e violento dos corpos que húmidos se devoram;

do alecrim – uniremos o seu terroso perfume aos odores

segregados nos pormenores secretos do labirinto dos nossos corpos;

e da videira beberemos o vinho deste epidérmico e venoso pacto

onde abrimos os pulsos e os juntamos sob as nossas bocas ligadas,

no sangue uno do mesmo tempo dos fluídos dos sexos

5 de Maio de 2016 e madrugada de 26 de Maio de 2017, dia da fertilidade dos frutos da terra ou Dia da Espiga

*

Ilustração [pormenor]: Jorge Muchagato, tinta-da-china, aparo quebrado, papel, ca. 1995.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s